JAPONÊS DOMADOR DE ONÇA

JAPONÊS DOMADOR DE ONÇA Tanaka Liu chegou ao Brasil corrido dos tsunamis e outros apertos do Japão...

 

Tanaka Liu chegou ao Brasil corrido dos tsunamis e outros apertos do Japão. Desembarcou no porto de Santos e olhou o mapa do Brasil escolhendo o Estado de Mato Grosso para morar, desejava trabalhar de boiadeiro na pecuária extensiva. Depois de dois meses viajando, de ônibus, caronas e pé chegou à fazenda Rio Bonito se empregando com o pecuarista Genivaldo. As terras dele era um latifúndio nunca imaginado por ele, com mais de quinze mil alqueires, quase do tamanho do Japão, sendo apenas trinta por cento descortinados para criação de gado. Os peões da fazenda em número de quinze eram bons de montaria e ensinaram tudo ao novato e ele aprendeu com facilidade como domar um cavalo, aboiar o gado e o necessário para iniciar. Liu nunca havia montado nem em cavalo de parque de diversões. Falava pouco de português, mas isto não foi problema, tinha facilidade na comunicação mímica. 

Havia na fazenda umas grotas enfurnadas, morada de onças, lugares temidos pelos peões, mas precisa ser visitado para recontagem. Chegou o dia de fazer a conferência do gado e mandaram o Liu. Ele nunca tinha visto uma onça nem em fotografia, este animal selvagem não existia em sua pátria. Montou o cavalinho jereba que o capataz lhe entregou e foi lá buscar a boiada. Chegou ao campo suspeito e reuniu os bois, vacas e novilhas iniciando o aboio de volta. Ao sair da restinga, olhou para traz para conferir se o gado estava todo ali, mas avistou a onça dona do pedaço saindo do mato para ver quem se atrevia a romper os domínios dela. Tanaka a viu e pensou tratar-se duma novilha de arribada e foi lá para reuni-la ao rebanho. A luta foi esquisita, porque a onça, como rainha da mata, não aceitou outro se impondo assim e foi p’ra cima do japa. 

A peleja foi federal, com as roupas de couro dele sendo rasgadas na unha da fera, mas finalmente conseguiu laçar a danada. Amarrou o laço na cabeçada do arreio e foi arrastando a pintada. O gado vendo aquela façanha do peão com a onça correu como nunca no caminho do curral, chegaram em menos de três horas de caminhada. Quando o capataz-mor veio conferir o gado, se faltava alguma rês, como era comum verificar quantas as onças tinham comido viu o japonês todo estragado e quis saber dele o que tinha acontecido. O peão não se fez de rogado, levando o chefe para ver a causa de seu desconforto do lado de fora do curral. Aquela novilha era muito rebelde, deu o maior trabalho, mas a trouxe para ser enturmada com o restante do gado. O capataz saiu patinando no rumo do galpão principal, para pegar uma arma e abater a onça. 

Foi assim que Tanaka Liu ficou conhecendo as onças do Brasil. 

Pois é!   

Ap. de Gyn, GO, 22JAN12

Delegado Eurípedes III

BREVE CURRÍCULO

 

EURIPEDES DA SILVA nasceu em Colômbia – SP, no mês de abril de 1.950. É casado com dona Lourdes há mais de trinta anos, tendo quatro filhos adultos e dois netos. Colou grau em 1.979, em direito pela UFG. Ingressou na Polícia Militar em 1.972, se graduando sargento onde permaneceu por cinco anos. Foi aprovado em concurso de provas e títulos para delegado de polícia, na Polícia Civil do Estado de Goiás, em 1.983. Especializou em Direito Administrativo e Constitucional pela Academia de Polícia Civil - UCG. Como delegado de polícia de carreira, atuou nas cidades de Itumbiara, Goiatuba e em Goiânia, nas seguintes delegacias. 5a, 7a, 15a, 20a, DEMA, DECON, HOMICÍDIOS e Corregedoria Geral de Polícia, onde é o titular atualmente. Publicou o romance policial AR-15 - A NOVA LEI com o pseudônimo Delegado Euripedes III – Se encontra no prelo Embosca – a política a serviço do crime e Macumba - o terreiro da morte.

CONTATOS: Telefone (62) 3284-7287

                        e-mail euripedes3. @ig.com.br

 



    Idiomas


    Patrocínio

     CDL Goiânia Bomlixo Levfort  Sesc Goiás Gráfica Web Projetos Batershopp Laboratório Núcleo Sicoob Goiás Central Fecomércio Senac Goiás

    Rede






    Revista